Inconfidentes é exemplo em Congresso de Educação na Espanha por projeto Tertúlias Dialógicas

Criado: Sexta, 21 Setembro 2018

IMG 5622Trabalho fez com que os alunos da Rede Pública do Município tivessem contato, pela primeira vez, com obras artísticas clássicas

No sul de Minas Gerais, a Rede Municipal de Educação de Inconfidentes é a única a desenvolver este trabalho

O projeto “Tertúlias Dialógicas”, que permitiu o primeiro contato das crianças da Rede Municipal de Educação de Inconfidentes com o universo das artes, foi apresentado  no VII Congreso Internacional Multidisciplinar de Investigación Educativa, na Espanha. O evento aconteceu na Universidad de Zaragoza, Espanha, em julho deste ano, e foi promovido pela Asociación Multidisciplinar de Investigación Educativa.

Na ocasião, a  professora doutora coordenadora do projeto, Cristiane Camargo, apresentou o trabalho realizado com os alunos do Centro de Educação Infantil Reino Encantado Irineu Doná. A ação é fruto da parceria entre Prefeitura Municipal de Inconfidentes e IFSULDEMINAS - Campus Inconfidentes, e que ainda contou com apoio do NIASE (Núcleo de Investigação e Ação Socioeducativa) da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) e da Sulca (Sub-rede de Universidades Latino-americanas por Comunidade de Aprendizagem).

“O trabalho foi muito elogiado e ninguém conhecia experiências de tertúlias artísticas dialógicas com crianças tão pequenas”, contou Cristiane Camargo. A profissional reforça, ainda, que já foi comprovado cientificamente que quando as crianças trabalham com artes, elas melhoram sua capacidade cognitiva, facilitando o aprendizado na escola.

“As Tertúlias Dialógicas são uma ação educativa de êxito e há evidências científicas, em estudos de nível europeu, que demonstram que esse trabalho é capaz de promover uma aprendizagem de qualidade, independente da origem social, além de incentivar o diálogo e integração entre as diferentes culturas, com base no respeito entre as pessoas”.

No sul de Minas Gerais, a Rede Municipal de Educação de Inconfidentes é a única a desenvolver esse trabalho com as crianças e atingiu, este ano, mais de 100 alunos. Neste semestre, os professores da Rede estão recebendo treinamento para que o projeto tenha continuidade.

Tertúlias Dialógicas em Inconfidentes

As aulas de “Tertúlias Dialógicas” aconteceram durante o primeiro semestre deste ano, e foram apresentados para as crianças obras de artistas como Villa-Lobos, Vivaldi, Picasso, Aleijadinho, Tarsila do Amaral, Van Gogh, Toquinho entre outros grandes nomes da música clássica, da literatura e das artes plásticas.

O trabalho é realizado em todas as escolas da Rede Municipal de Educação de Inconfidentes. Na Escola de Educação Infantil Reino Encantado Irineu Doná são 3 turmas do Pré II (5 anos), no Centro Educacional Municipal Américo Bonamichi, são os alunos do 4º ano, e na escola Rogério Bernardes de Souza, localizada no bairro Boa Ventura, zona Rural de Inconfidentes, são com alunos do 5º ano.

Os encontros têm duração de 1 hora para cada turma e contam com apoio de uma monitora. Antes de começar,  a turminha relembra o que foi passado no encontro anterior. Depois, seguem para a apreciação de uma obra artística, apresentada em forma de música, leitura ou imagem. Após esta etapa, todos começam o diálogo e as crianças relacionam o que viram com a vida delas. Ao final, todos partem para atividade de expressão, podendo ser o canto, a pintura, ou até a dança.

Todo diálogo segue uma regrinha. Para falar, o aluno precisa levantar a mão e esperar até que o outro colega termine seu diálogo. Desta forma, vão sendo reforçados valores como o respeito pelo próximo, assim como aprender a ouvir opiniões que são diferentes.

“Após o levantamento a respeito do gosto artístico das crianças realizado com todas as turmas, foi detectado que elas gostam muito de funk e sertanejo universitário. Tivemos uma aula que apresentamos um trecho da música clássica do compositor Vivaldi. Na aula seguinte, um dos alunos veio me falar que descobriu que a música inteira durava 15 minutos. Isso mostra que eles se interessam pelo o que eles têm contato. Não tem a ver com a origem social, mas com a influência que recebem”, contou a monitora Michele Luiza.   

E ainda relatou “Eles sempre acham que os compositores, artistas nasceram na europa, porque, para eles, o que tem qualidade está lá fora. O Aleijadinho foi um choque quando eles descobriram que era brasileiro e, ainda mais, mineiro”.

Integração com toda família

A obra “O Trenzinho do Caipira”, do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos, foi motivo de empolgação e curiosidade na casa de Giovani Alexandre Correia Ferreira, de 10 anos. Ele mostrou para seus pais vídeos sobre a música que conheceu na aula de Tertúlias, na escola  Rogério Bernardes de Souza, localizada no bairro Boa Ventura, na zona rural de Inconfidentes.

“Nós acabamos aprendendo junto com ele, porque ele chega todo empolgado em casa, quando tem essa aula, mostra tudo que aprendeu, pesquisa na internet e, muitas vezes, são coisas que a gente nunca aprendeu na nossa época de escola”, conta Andrea Cristina Correia,  mãe de Giovani.

Histórico das Tertúlias Dialógicas

De acordo com a coordenadora do projeto, Cristiane Camargo, a prática das Tertúlias Dialógicas nasceu na Espanha, na cidade de Barcelona, há mais ou menos 50 anos, na Escola de Pessoas Adultas La Verneda Sant Marti. Essa atividade começou com um grupo de adultos que tinham acabado de se alfabetizar. Eles decidiram que queriam ler as obras clássicas da literatura e marcaram reuniões para apreciarem essas obras, tendo como fundamento o diálogo igualitário entre eles.

O interessante é que não procuraram nenhum especialista em literatura para interpretar para ou explicar. Simplesmente se reuniam e cada um comentava o que a leitura tinha trazido para eles, relacionando de acordo com suas experiências de vida. Desde então, a ideia de fazer esse tipo de coisa começou a espalhar pela Espanha, depois Europa  até chegar em outros países.

“Entre os anos de 2006 e 2011 foi feita uma pesquisa de nível europeu com vários países e instituições, esse grupo procurou mapear na europa quais seriam as ações educativas que comprovadamente demonstravam ter êxito em 2 aspectos: promover aprendizagem de qualidade para todos e todas e, também, a integração entre as diferentes culturas com enfoque no respeito entre as pessoas. E as Tertúlias Dialógicas se enquadram nestes dois aspectos”, contou Cristiane.